sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

Direito de resposta

No dia de Natal recebi um comentário ao post publicado dia 23 de Dezembro, em que transcrevo um excerto do livro da Margarida Rebelo Pinto, "Diário da Tua Ausência".
Na altura não o publiquei, porque achei que uma pérola destas merecia alguma análise.
Já que estamos numa época de partilhas e amor e carinho e coiso, achei bonito partilhar o comentário que recebi convosco. (está transcrito tal como veio)


"?????
A Margarida Rebelo Pinto é referência desde qd?
Meninas bem que escrevem """""literatura""""""""""""" ""light"" para o rsto dos anormais que se enganam a achar que estão a ser diferentes do resto só pq estão a ler um livro????
Ó miséria e ignorância!!!!!!!!!!!
Não vais publicar, mas ao menos lês!"


Cara pessoa que escreveu este comentário:

Em primeiro lugar, acho que devia procurar um terapeuta, porque quer.me parecer que é uma pessoa um bocado pró revoltada. Isso não lhe faz lá muito bem e ainda por cima aparecem.lhe rugas mais depressa. (já agora, veja se a sua tecla das aspas não tem problemas... é que normalmente usam.se só duas...)

Em lado nenhum eu escrevo que a Margarida Rebelo Pinto, ou o que ela escreve, é uma referência. O facto de ler os livros dela não significa necessariamente que olhe para os escritos dela como doutrina. Mas gosto muito! Daqui parece.me oportuno aconselhar uns óculos. Só pra prevenir futuros enganos.

Se a MRP (é o acrónimo do nome dela, caso não tenha percebido. Se não sabe o que significa "acrónimo", procure no dicionário) é "menina bem" como lhe chama, eu não sei. Nunca privei com ela, mas se por acaso um dia tiver oportunidade, prometo que pergunto e depois comunico. OK? Pronto, fica combinado. Não é preciso agradecer.

Há outra coisa que gostava que me explicasse: só porque não é Kafka, Goethe, Kerouak, Hemmingway ou outros que tais, é menos importante? O que escreve não é verdade? Talvez fosse boa ideia passar os olhos pelo livro que criticou e perceber que, tal como disse António Alçada Baptista por altura da edição do 1º romance da autora, "[...] é diferente e novo [...] é literatura."

Se acha que ler um livro é ser diferente, seja ele "light" ou não, então acredito que tem as ideias distorcidas e quem precisa de ler livros é você. (a página das cusquices do "24horas" e a da miúda d' "O Jogo" não conta, não se iluda.)

Há um conselho que lhe gostava de dar, não vá o diabo tecê.las e trocar.lhe as voltas. Aconteça o que acontecer, não enverede pela área da Astrologia, Tarologia ou qualquer coisa do género. "Não vais publicar, mas ao menos lês!" Já vimos que não dá resultado ,ok?

Mas não me entenda mal. Quando se tem um donut em vez do coração (como diz a MRP), é normal que não se entenda o que está nas entrelinhas.


Autor do comentário? Anónimo/a.
Vá lá, um bocadinho de coragem não lhe fazia mal nenhum! Se se mostrou tão certo/a das suas ideias, não tenha medo de se identificar. Vai ver que só custa na 1ª vez! Força!

19 comentários:

Fênix disse...

Os anónimos, os anónimos....

Tambem tens um de estimação!!! Vá não lhe batas tanto porque assim ele não volta amiga :)


Beijinho

Saltos Altos Vermelhos disse...

hihihi esta tua resposta está simplesmente fantástica! Eu sempre digo, Deus que é Deus não agrada a todos! E os gostos não são discutíveis! Nunca devemos entrar por aí! aquilo que nos faz sentir bem a nós, de certeza que não irá fazer aos outros! acho ridículo tentarem estereotipar tudo o que nos rodeia!

Isandes disse...

Tambén não aprecio a Guidinha, apesar de só ter lido 1 ou 2 dela, mas isso dos gostos é relativo.
E toda a leitura é legítima; quando me lembro k cismei de ler uns contos de Dostoievski... Não passei do 3º, pk aquilo não m diz nadinha. Isto é como diz o Daniel Pénnac nos seus direitos do leitor, cada qual sabe de si!
E fazer 1 crítica anónima é de muito mau tom...
Xuac!

meus instantes e momentos disse...

muito bom o post. Muito bom.
Maurizio

tfferreira disse...

Todos nós gostamos que comentem o que escrevemos, sejam criticas construitivas e até destrutivas... Mas gostamos de saber quem o faz.
E contrariamente à atitude que tiveste, ao fazeres este post, a ele faltou-lhe um pouco de bom senso.

E um livro é sempre um livro, podemos aprender menos, podemos nem gostar, mas o "acto" de ler é importante... E quem criticou alguma vez o leu? Pois, acho que não.. E "receio" até que não entenda certas expressões que aplicaste.
E como o bom portugês diz: "gostos não se discutem".. Bom senso gente, bom senso ;)

Beijinhos

Rita disse...

Go get them tiger :P também não vou muito à bola com a MRP mas os gostos não se discutem :) boa resposta my love

Precious disse...

LOOL
eu bem sei que a senhora Margarida Rebelo Pinto não é o expoente máximo da literatura mas não quero saber e leio na mesma! E adoro aquelas frases tipicamente de gajas em que fala de homens, de principes encantados e de amor.

Oh pá e já te deste ao trabalho de responder (e muito bem respondido já agora) a anónimos! Es mesmo sweetie :D lol

Betty disse...

Desculpem lá, mas esta menina não é nada Sweetie. Ela é um furacão! E olhem que eu falo com muito conhecimento de causa.

Mas concordo inteiramente com o que foi respondido. Cada um é livre de ler o que quer. E se for um livro da MRP óptimo! Com os níveis de leitura que o nosso país apresenta, qualquer leitura é bem recebida. E quem começa com um livro da MRP talvez depois leia um Saramago ou um Eça. Será que estes já são aceitáveis, caro/a anónimo/a?

XS disse...

Brilhante. Só e apenas.
Anónino/a, embrulha!

Bruno Fehr disse...

Eu acho imensa piada a todos os incultos que falam em literatura "light", como se fosse uma espécie de livro que é mais leve que os outros, ou que não engorda. Em breve teremos a literatura diet sem açúcar e a ideal para diabéticos.

A MRP é trapalhona a escrever, mas se há quem compre e quem goste, não vejo qual é o problema em ler. Se ela vende é porque agrada.

Nao concordo é com idiotas que puxam de galões dos livros que leem, "Ah e tal eu já li James Joyce". Porra o meu cão pode ler James Joyce, agora será que percebe o que ele quer dizer?

Um livro é um livro, não há light nem há heavy, o que há são gostos e cada um deve ler o que lhe agrada, é tudo literatura e o importante é ler.

Um Gajo Qualquer... disse...

Como diz o Bruno, essa da literatura light tem muito que se lhe diga...

Fizeste muito bem em exercer o teu direito de resposta. ;)

Tita disse...

Lindoooooo!!!
Eh pah, olha fiquei sem palavras (se calhar ando a ler poucos livros!!!) Hahahaha!!! Eh pah eu só não entendo é porque é que há gente que se dá ao trabalho... a sério, não têm vida própria? Se não gostam podem muito bem dar opinião mas assumam-se e dêm justificações plausiveis, ou então simplesmente fechem a janelinha!

Bem... é assim miúda, a inveja dá nisto... não ligues! Beijinhos***

Paula disse...

Boa Tarde
É a 1 vez que passo por cá mas adorei este "direito de resposta"!
Sou viciada no verbodegradavel da Isa mas tenho a certeza que vou continuar a passar por cá tambem.
Abraço
Paula

Pequenina disse...

Só eu é que não tenho anónimos a chatear ? :P

Mel disse...

Pequenina, não seja por isso...queres?
:P

Alguém disse...

Muito boa resposta! Direito extremamente bem exercido! ihih

beijinho

Bad Girl disse...

Eu pergunto-me: será apenas um desocupado que anda de blog em blog a descarregar o fel que o consome, ou há mesmo tanta gente tão ressabiada??
Não ligues.
B3ijos

Ci disse...

loool.Mt bem,mt bem!=P

Glamourous Girl disse...

Eu concordo inteiramente com o que disseste no teu direito de resposta! E gosto de ler Margarida Rebelo Pinto. Antes isso do que me armar em pseudo-intelectual.
**