segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Todos os silêncios

"Era uma vez uma princesa cavaleira que tinha a mania de ser guerreira. Comandou exércitos e reconquistou territórios. Libertou mulheres presas e absolveu condenados. Teve uma vida cheia de vitórias e não lhe faltava nada, a não ser um grande amor. Quando o descobriu, a princesa temerária montou outra vez no cavalo e foi atrás dele. E ele assustou-se porque percebeu que ela era indomável como as forças misteriosas da natureza que fazem tremer a terra e varrem as praias. Cansada de correr, a princesa voltou para o castelo e subiu à torre, onde ainda hoje sonha que ele a venha buscar. Não se pode correr atrás dos homens, eles não gostam, percebeu ela, depois de muito tempo. Assim, deixou-se ficar na torre, que se transformou num farol, para que ele não se perdesse no caminho quando a quisesse encontrar. De vez em quando, vejo-a a mandar sinais de fumo em forma de mensagens; mapas em forma de cartas; setas em forma de presentes, Vejo-a sossegada, mergulhada no silêncio dos seus sonhos. Vejo-a sentada naquele mesmo terraço, com o mar em frente, ou o deserto, tanto faz. E ao lado dela vejo um príncipe imperfeito, mas perfeito para ela, porque a perfeição está em tudo o que se ama. A nossa perfeição nunca se vê no nosso espelho; vive nos olhos dos outros e no amor com que nos vêem."

Margarida Rebelo Pinto, "Vou contar-te um segredo"

4 comentários:

Fátima disse...

É realmente, não tinha pensado nisso dessa maneira! mas que é verdade lá isso é!

Bjs

Precious disse...

adorei, adorei, adorei ! essa senhora pode ser chamada do que for, pode não ser autora de grandes obras literárias, mas eu gosto de muitas das coisas que ela escreve :$


**

marta. disse...

tenho um miminho pra ti no meu blog :D

ADEK disse...

Recomendas a leitura integral?
Beijinho*